PIB de Sergipe recua 5,2% em 2016



Em valores correntes, o Produto Interno Bruto do estado (PIB) em 2016 chegou a R$ 38,87 bilhões e o PIB per capita ficou em R$ 17.153,91.

 

De acordo com dados divulgados pelo Observatório de Sergipe, vinculado à Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão de Sergipe, com base num estudo em parceria com o IBGE, o PIB de Sergipe chegou a R$ 38,87 bilhões em 2016, o que representa um declínio em volume de 5,2% em relação ao ano anterior. O estado apresentou, pelo segundo ano consecutivo, taxas negativas em todos os setores econômicos. A maior queda foi registrada na Agropecuária (-20,9%), seguida pela Indústria (-7,5%) e pelo setor Serviços (-2,9%).

 

Gráfico – Taxa Real de Crescimento (%) – Brasil, Nordeste e Sergipe – 2011-2016

Fontes: IBGE; SEPLAG.

 

O PIB per capita resulta do quociente entre o valor do PIB e a sua população residente. Utiliza-se a estimativa de população que tem como data de referência 1º de julho, divulgada pelo IBGE. Em 2016, com uma população de 2.265.779 habitantes, o PIB per capita sergipano atingiu R$ 17.153,91, valor inferior ao do ano anterior em R$ 35,37.

Pela primeira vez, desde 1985, Sergipe perdeu a primeira posição entre os estados nordestinos ficando abaixo de Pernambuco (R$ 17.777,25), que passou a possuir o maior valor per capita da região, e Rio Grande do Norte, que alcançou um valor de R$ 17.168,60. Entretanto, o estado apresenta um valor acima do apontado para a região Nordeste, R$15.779,11.

Quanto à participação setorial, o setor de Serviços responde pela maior parte da estrutura do produto. Em 2016, sua participação foi de 75,0%, 2,8 pontos percentuais (p.p.) a mais que no ano anterior. Na comparação com o ano 2010, quando respondia por 64,7%, a diferença é de 10,3 p.p. Já a indústria teve sua participação reduzida de 29,0% para 20,1% e a agropecuária teve queda de 6,4% para 5,0% em seis anos.

No período, as atividades que obtiveram maior participação na economia foram: ‘administração, educação, saúde, pesquisa e desenvolvimento públicas, defesa, seguridade social’ (28,4%), ‘comércio, manutenção e reparação de veículos automotores e motos’ (13,0%), ‘atividades imobiliárias’ (9,7%), ‘indústria da construção’ (7,8%) e ‘indústria de transformação’ (6,1%).

Publicação: Relatório PIB SE 2018