24 de setembro de 2020

Proporção de domicílios que receberam auxílio emergencial sobe de 56,5% para 57,8% entre julho e agosto


No tocante ao auxílio emergencial, do total de 746 mil domicílios no estado, 57,8% (431 mil) receberam o benefício em agosto. No mês passado, eram 424 mil domicílios, atingindo 56,5% do total. As informações são da Pnad Covid19, divulgada hoje (20) pelo IBGE.

Principais resultados:
▪ Taxa de desemprego subiu de 11,9% para 13,2% entre julho e agosto;
▪ Desocupados somam 114 mil;
▪ População ocupada cresceu 1,1% (passou de 737 mil para 745 mil) em um mês;
▪ Cerca de 70% (50 mil) dos ocupados que estavam afastados tinham como principal motivo a pandemia;
▪ Entre os trabalhadores em exercício, 9,6% (64 mil) continuam trabalhando remotamente;
▪ 72,2% (322 mil) das pessoas não procuraram emprego devido à pandemia ou por falta de trabalho na localidade;
▪ Informalidade sobe de 43,6% para 43,8% e atinge 326 mil trabalhadores em um mês;
▪ 61,2% dos domicílios receberam algum tipo de auxílio relacionado à pandemia;
▪ Proporção de domicílios que receberam auxílio emergencial sobe de 56,5% para 57,8% entre julho e agosto;
▪ Em 60 mil domicílios algum morador buscou empréstimo para enfrentar a pandemia.

A Pnad Covid19

A Pnad Covid19, que tem a parceria do Ministério da Saúde, é realizada remotamente, pelo telefone, com as mesmas pessoas por pelo menos três meses. Os resultados dessa pesquisa não são comparáveis com os da versão regular da Pnad Contínua. Cabe salientar também que a comparação com outros estados deve ser feita com ressalvas, já que cada ente federado vive conjecturas socioeconômicas específicas em relação à pandemia.

Publicação completa: Pnad Covid-19:
Os reflexos da pandemia no mercado de trabalho sergipano

Pular para o conteúdo