1 de junho de 2023

Caged: Com início da entressafra da cana, Sergipe fechou 569 empregos formais em abril


Fonte: Observatório de Sergipe |Superplan | Secretaria da Casa Civil| Governo de Sergipe

Dados do Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego, revelam que Sergipe encerrou o mês de abril com a perda de 569 postos de trabalho. No acumulado do ano (com ajuste), foram criadas 1.716 vagas. Já os últimos 12 meses (com ajuste) acumulam 12.918 postos gerados. O estoque de empregos no mês ficou em 298.517 vagas. As informações foram analisadas e divulgadas hoje (31) pelo Observatório de Sergipe/ Superplan.

👩🏽‍💻Indústria e agropecuária puxam queda de empregos

Dos cinco setores observados, três criaram postos em março: Serviços (1.083 vagas), Comércio (512) e Construção (68). Juntos, totalizaram 1.663 postos. Em contraposição, somando uma perda de 2.232 vagas, Indústria (-1.279) e Agropecuária (-953) puxaram a queda no saldo de empregos.

O resultado negativo da Indústria foi pressionado pela fabricação de açúcar em bruto (-1.340); e o da Agropecuária, sobretudo, pelo cultivo de cana-de-açúcar (-664) e atividades de apoio à agricultura (-249).

Na outra extremidade, o desempenho do setor de Serviços foi impactado pelas atividades administrativas e serviços complementares (263), atividades de atenção à saúde humana (226), alimentação (213), educação (158) e transporte terrestre (146). No Comércio, os destaques foram o comércio varejista (359) – mais especificamente hipermercados e supermercados (178) e farmácia (62) – e a manutenção e reparação de veículos automotores (59). Já na Construção, as obras de infraestrutura (54) e construção de edifícios (22).

👎 Municípios que mais perderam empregos: Laranjeiras (-1.421), Capela (-593) e Japaratuba (-195).

👍 Municípios que mais geraram empregos no mês: Aracaju (870), Nossa Senhora do Socorro (227) e Itabaiana (192).

Publicação completa: Radar do Emprego – Abril 2023

Pular para o conteúdo