2 de maio de 2024

Caged: Puxado pela entressafra da cana-de-açúcar, Sergipe perdeu 1.875 empregos formais em março


Fonte: Observatório de Sergipe | Estudos e Pesquisas | Secretaria Especial de Planejamento, Orçamento e Inovação (Seplan) | Governo de Sergipe.

Dados do Caged, do Ministério do Trabalho e Emprego, revelam que Sergipe encerrou o mês de março com a perda de 1.875 empregos formais. No acumulado do ano (com ajuste), foram criadas 563 vagas. Já os últimos 12 meses (com ajuste) acumulam 11.684 postos de trabalho. O estoque de empregos no mês ficou em 327.702 vagas. As informações foram analisadas e divulgadas (30) pelo Observatório de Sergipe/ Seplan.

🏭 🎋 Indústria e Agropecuária, juntas, perderam 3.498 vagas

Dos cinco setores observados, três registraram saldo positivo: Serviços (936), Construção (425) e Comércio (262). No entanto, o desempenho desses setores foi insuficiente para impulsionar o mercado de trabalho sergipano devido ao resultado negativo da Indústria (-1.803) e da Agropecuária (-1.695), que, somaram, o fechamento de 3.498 postos.

O resultado da Indústria foi puxado, sobretudo, pelas perdas nas fabricações de açúcar (-1.471) e de álcool (-615). Já o da Agropecuária, pelos declínios no cultivo de cana-de-açúcar (-1.400) e nas atividades de apoio à agricultura (-338).

No que concerne à abertura de emprego, a maior foi no setor de Serviços, decorrente, principalmente, da atividade de teleatendimento (120). Na Construção, os destaques foram construção de edifícios (250) e serviços especializados para construção (126). Quanto ao Comércio, o saldo positivo foi puxado pelo varejista, mais especificamente, pelo de mercadorias em geral, com predominância de produtos alimentícios, como hipermercados e supermercados (66) e minimercados, mercearias e armazéns (65).

👎 Municípios que mais perderam empregos: Laranjeiras (-1.684), Capela (-1.263) e Nossa Senhora das Dores (-492).

👍 Municípios que mais geraram empregos no mês: Aracaju (728), Nossa Senhora do Socorro (243) e São Cristóvão (177).

Cenário Nacional

No Brasil, houve expansão de empregos: 244.315 postos de trabalho. Em relação ao estoque do mês anterior, com exceção de Alagoas (-2,16%) e Sergipe (-0,57%), todas as unidades federativas registraram variação relativa positiva. Os maiores acréscimos foram observados no Acre (1,13%), Goiás (1,02%) e Piauí (0,86%).

Publicação completa: Radar de Emprego – Março 2024

foto: Edinah Mary/Arquivo Secom

Pular para o conteúdo