10 de maio de 2022

Vendas do comércio varejista em Sergipe cresceram 1,3% em março


O volume de vendas do comércio varejista em Sergipe cresceu 1,3% em março, frente a fevereiro, na série com ajuste sazonal. Em relação ao mesmo período de 2021, houve queda de 4,4%. No acumulado no ano, com base em igual período do ano anterior, o decréscimo foi de 7,0% e, nos últimos 12 meses, caiu 5,0%. Os dados são da Pesquisa de Comércio (PMC), divulgadas hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e analisados pelo Observatório de Sergipe.

Em março, a receita nominal do varejo em Sergipe apresentou aumento em relação a fevereiro, 4,5%. Na comparação anual, houve aumento de 11,4%. O acumulado no ano apontou crescimento de 7,8% e, nos últimos 12 meses, de 9,0%.

📍 Varejo Ampliado 🚙 🏗

No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o volume de vendas no estado caiu 0,5% em relação a fevereiro. Frente a março de 2021, o comércio varejista ampliado cresceu 5,1%. O acumulado no ano cresceu 2,5% e, nos últimos 12 meses, 4,9%.

A receita do varejo ampliado fechou o mês com queda de 0,5%, em comparação com fevereiro. Já em relação ao mesmo período de 2021, o aumento foi de 20,5%. A variação acumulada no ano apontou crescimento de 16,8% e, nos últimos 12 meses, de 17,8%.

🇧🇷 Cenário Nacional

Na comparação com fevereiro, na série com ajuste sazonal, a taxa média nacional de vendas do comércio varejista cresceu 1,0%, com resultados positivos em 19 das 27 unidades da federação, com destaque para Goiás (3,0%), Roraima (2,8%), Pernambuco e Amapá (2,5%, ambas). As maiores variações negativas foram registradas no Amazonas (-3,2%), Distrito Federal (-1,5%) e Bahia (-1,2%).

Para a mesma comparação, no comércio varejista ampliado, o país avançou 0,7%, puxado por 14 das 27 unidades da federação, com taxas positivas mais intensas no Espirito Santo (11,9%), Goiás (7,4%) e Piauí (4,0%). Em contraste, as maiores variações negativas foram obtidas por Ceará (-3,1%), Rio Grande do Sul (-2,1%), Acre e Amazonas (-2,0%, ambas).

Publicação completa – Pesquisa Mensal do Comércio – Março 2022

Pular para o conteúdo